O termo Transformação Digital é bem chique e parece até inalcançável, mas na prática se refere a como deixar nossos negócios mais virtuais, o que não é mais um diferencial e sim um pré-requisito. Quer saber como fazer isso? Vem comigo e se joga!

Para trazer a transformação digital para um conteúdo bem vida real, quero usar alguns aprendizados que tive com o livro Reimagine, de Tom Peters, que fala sobre fazer diferente e fazer a diferença.

Quando falamos em digitalizar serviços, podemos usar como exemplo os bancos, que passaram a oferecer através da internet todas aquelas ações que antes precisavam ser realizadas presencialmente em uma agência. E melhor ainda, hoje estão na palma da mão por meio de aplicativos.

Mas vale dizer que todas as tendências para 2020 se aceleraram e se consolidaram rapidamente com esse momento de distanciamento social, e hoje para qualquer empresa existir, precisa ter de alguma maneira o seu processo de venda ou atendimento digital.

Entenda que isso vai além de inovar, é sobre se transformar. E uma das grandes lições do livro Reimagine para que isso aconteça é agregar serviços ao nosso negócio.

O melhor exemplo para entender um serviço relacionado ao nosso produto é o restaurante, que não escolhemos apenas pela comida. O ambiente, o atendimento, a comodidade, tudo aquilo que está sendo oferecido enquanto consumimos o produto é considerado serviço, e faz com que a experiência vá muito além de se alimentar.

Trazendo para a prática, agregar serviços é oferecer novas opções de pagamentos digitais, oferecer conteúdos que possam ajudar o cliente conforme sua etapa na jornada de compra, delivery e outras facilidades e benefícios para que o cliente siga consumindo do nosso negócio.

Outra lição essencial nesse momento e para o futuro é entender a diferença entre satisfação e sucesso do cliente. Se antes a gente se contentava com clientes satisfeitos, hoje é preciso garantir que ele tenha sucesso.

Quando estou vendendo meu curso online, mais do que saber se o aluno adorou o conteúdo, minha preocupação é de assegurar que ele está conseguindo implementar, e de que terá resultados com a aplicação do meu método autoral de planejamento.

No episódio Customer Experience: passo a passo do meu podcast, com o convidado super especial Eduardo Fonseca, falamos muito sobre essa possibilidade de gerar experiências, fazer diferente encantar. Recomendo que você ouça!

Outro conteúdo complementar é o vídeo A Fórmula da Satisfação, em que cito o exemplo da Disney. Lá, se você tiver um momento de insatisfação, os colaboradores têm autonomia para te surpreender de alguma forma e transformar o contratempo em uma experiência positiva, ou pelo menos não deixar que ele mude sua percepção sobre essa vivência.

Quero dar também um exemplo da Aisla, marca local de slowfashion que envia produtos para todo país e entrega junto ao pedido um chá de afeto, algo tão simples e acessível, mas que quando a cliente recebe é uma novidade, é diferente, impossível de passar despercebido.

Outro exemplo simples e assertivo é do RD Summit, o maior evento de marketing e vendas da América Latina. Antes de se sentar para assistir a uma palestra na plenária, você pode pegar um pacote de pipoca fresquinha, transformando a percepção de quem está assistindo de que não é um conteúdo maçante, porque o sabor, o cheiro, a experiência com a pipoca remete a coisas boas, entretenimento. Pense comigo, quanto custa o milho de pipoca diante dessa percepção incrível que gera?

Para conferir outros aprendizados sobre surpreender os clientes, te convido a assistir ao vídeo ou podcast a respeito do livro Oceano Azul, que fala a respeito de diferenciação. Seu produto pode ser copiado, mas você precisa ser único.

Essa percepção de autenticidade é fácil de ser aplicada. Ela é transmitida através de recursos simples como o storytelling, com temas como a história por trás da marca, desafios que superou e conteúdos que mostram sua equipe.

Pessoas se identificam com pessoas, e é muito comum que ao falar sobre conteúdos humanizados nas redes sociais eu receba feedbacks de vocês falando sobre engajamentos e vendas multiplicadas a partir dessa identificação gerada entre você e o público-alvo.

Outro aprendizado que o livro Reimagine oferece é sobre a importância da participação feminina nas equipes, já que atributos comportamentais de mulheres são muito frequentes nos públicos-alvo e é preciso ter sensibilidade e identificação para compreendê-los.

Todas essas dicas e exemplos nos mostram que o planejamento de marketing é muito mais dinâmico do que aquela impressão inalcançável do plano perfeito. Marketing se faz no dia a dia, na possibilidade de criar, errar, ajustar e acertar enquanto prosseguimos.

Por isso te convido a implementar essa cultura de constante transformação e ter essa disposição e atitude de ir vivendo um passo de cada vez, o que será essencial para o seu sucesso daqui para frente.

Escrever comentário sobre Transformação Digital | Livro Reimagine do Tom Peters