Hoje eu trago um tema polêmico para responder uma dúvida que chegou lá nos comentários do Youtube: “por que você comenta que é tão difícil conseguir seguidores se a gente está cheio de ferramentas que fazem isso? Por que você nunca comentou sobre elas nos vídeos?”

Chegou a hora de falar sobre isso!

Existem ferramentas que são robôs responsáveis por realizar rotinas automatizadas, como curtir, comentar e seguir. Elas podem ser utilizadas mediante contratação e pagamento mensal por meio de cartão de crédito.

Na interface desses robôs, existem critérios que você pode configurar, como pedir para seguir pessoas que seguem determinado perfil, que pode ser de algum concorrente ou mesmo de segmentos similares. Isso chamará a atenção do usuário e ele talvez entrará em seu perfil e, por uma questão de afinidade com o tema, passará a te seguir também.

Outra possibilidade é configurar a ferramenta para seguir pessoas de determinado gênero, região ou idade, e ainda comentar em fotos baseando-se no uso de uma hashtag. Para o usuário, isso também chama a atenção e pode iniciar um relacionamento, seja com uma resposta ou com uma visita em seu perfil para conhecer melhor a marca.

Note que os robôs, quando bem configurados, trazem sim seguidores reais e pessoas de fato interessadas no que você tem a ofertar como conteúdo nessa rede social. Gerar essa interação de forma rápida, prática e 24 horas por dia parece perfeito, mas existem dois pontos que precisamos discutir mais à fundo:

Como o consumidor se comporta?

O ser humano não costuma ter sensações muito positivas quando descobre que está interagindo com um robô, e tende a se sentir usado, como se fosse apenas um número para aquela empresa. Esse não é o tipo de sentimento que você quer relacionar à sua construção de marca, então é necessário prestar atenção em como seu consumidor pensa e age. Ele teria um sentimento negativo se soubesse que não está se relacionando com alguém de verdade?

Termos de uso e políticas do Instagram

Esse segundo ponto é mais técnico, mas igualmente importante: o Instagram atualmente tem as APIs (Interface de Programação da Aplicação) fechadas, que consistem em uma espécie de porta que autoriza a união entre as outras ferramentas e a conta da sua empresa na rede social. Isso significa que as APIs são públicas, mas até o momento só permitem o agendamento de postagens.

Tudo isso está bem especificado nos termos de uso, que são basicamente um contrato para regulamentar o que pode ou não pode fazer na rede social. Veja o que dizem sobre as automações:

“Você não pode criar contas com o Serviço através de meios não autorizados, incluindo, entre outros, através da utilização de um dispositivo automatizado, script, bot, spider, rastreador ou scraper.”

Perceba que o Instagram menciona basicamente tudo o que foi citado acima sobre a função das plataformas automatizadas.

O termo bot é o diminutivo de robot, robô em inglês, exatamente esse tipo de ferramenta.

Logo no parágrafo abaixo, o Instagram destaca que violar essas práticas de alguma maneira pode resultar em sua conta suspensa ou bloqueada na rede social. Na prática, isso é raro acontecer. O Instagram dificilmente fiscaliza esses bots, mas alguns usuários descontentes com o seu comportamento podem denunciar por spam, aumentando a possibilidade de sua conta ser bloqueada de alguma forma.

Como o risco é baixo, mas existe, as plataformas de automação trabalham com doses. Você não pode fazer mais de 60 requisições por minuto, então o bot pode ser configurado para ficar abaixo desse radar.

Ainda assim, vale o alerta! A gente não sabe quando o cenário vai mudar.

E se o Instagram resolver intensificar a fiscalização na madrugada de hoje, você está preparado para lidar com isso ou corre o risco de acordar amanhã com a conta bloqueada? Vai ser o típico caso onde o crime não compensa.

Como consultora, eu poderia concluir dizendo “não faça isso”, mas cabe a você estabelecer quais estratégias utilizar. Meu primeiro conselho é que esteja atento aos termos de uso. Saiba que as regras são importantes e existem para serem cumpridas, e conheça as penalidades em caso de descumprimento. Elas estão justamente nesse contrato, que infelizmente poucos profissionais tiram tempo pra ler.

O segundo conselho é refletir se o seu cliente ficaria satisfeito ao saber que não está se relacionando com uma pessoa de verdade que representa sua marca, mas sim com um robô.

Espero que com essas dicas fique mais simples entender o que pode e o que não pode no Instagram, e assim utilizar da melhor maneira essa rede social.

Se você quiser saber mais sobre marketing digital, mídias sociais e tecnologia, inscreva-se no meu canal! É grátis, não tem glúten e faz super bem. ;)

Escrever comentário sobre Automação para Conquistar Seguidores no Instagram | Entenda as Regras