Podcast sem gastar muito | Bastidores e dicas práticas

No vídeo anterior compartilhei dicas para definir uma linha editorial de podcast, focado em criação de conteúdo inédito e especial neste formato que vem crescendo cada vez mais. Agora chegou o momento de falar sobre […]

No vídeo anterior compartilhei dicas para definir uma linha editorial de podcast, focado em criação de conteúdo inédito e especial neste formato que vem crescendo cada vez mais. Agora chegou o momento de falar sobre os bastidores da produção, gravação e captação deste tipo de conteúdo. 

Existem inúmeras maneiras de gravar um podcast, então quero deixar claro que hoje vou compartilhar com vocês como eu mesma faço e tenho certeza que esse conteúdo pode inspirá-los e mostrar que mesmo com poucos recursos você pode ter um podcast muito bom.

 

  • Áudios exportados

Os meus conteúdos de podcast são primeiramente os áudios exportados dos meus vídeos do Youtube e das redes sociais, justamente porque tendem a ser explicativos e muitas pessoas perceberam que poderiam usufruir do meu conteúdo enquanto realizavam outras tarefas. Isso garante que a partir da mesma gravação eu tenha dois conteúdos ricos em formatos diferentes.

 

  • Convidados

Com o conteúdo exportado do Youtube bombando no podcast, decidi começar a trazer convidados para que eu pudesse aprofundar os temas e trazer diferentes pontos de vista para uma conversa ainda mais interessante, além de que também poderia trazer outras propostas da minha comunicação, como o meu jeito de ser, por exemplo.

 

  • Microfone

Com tudo isso em mente, percebi que precisaria fazer investimentos, começando pelo microfone. Mas eu ainda não sabia se o conteúdo em podcast iria dar certo e por isso comecei a gravar tudo com um fone de ouvido que já costumava usar nas lives. Com o tempo, começaram a surgir reclamações de que o áudio não estava tão bom e cheguei à conclusão de que eu precisaria sim investir num microfone melhor. 

Acabei mudando de planos quando descobri a praticidade de gravar de forma remota. Isso traz praticidade, permite chamar convidados de outras localidades e, nesse momento, é uma questão de segurança também. Exatamente pelo fato de gravar de forma remota, percebi que não adiantava eu ter um super microfone e o meu convidado não. Ele provavelmente iria usar o bom e velho fone de ouvido e haveria essa discrepância na qualidade do som, comprometendo todo o conteúdo. 

Vale lembrar que eu gravo meus podcasts através do Zoom. A vantagem de usar esse programa é que ao terminar a gravação, o arquivo de áudio é exportado imediatamente para o seu computador. É importante observar que esse áudio exportado do Zoom grava todas as vozes ao mesmo tempo, dificultando a edição. Tanto o Zoom quanto o Skype tendem a piorar o seu áudio, então mesmo que você esteja usando um super microfone, o áudio final não vai ter a qualidade esperada, gerando assim uma frustração em quem investiu em um bom equipamento. 

A solução para isso é mais fácil do que você imagina e vai precisar apenas do seu celular. A dica é a seguinte: 

  • Você vai entrar em uma sala do Zoom junto com o convidado, onde os dois estarão com seus fones de ouvido plugados no computador.
  • Você e seu convidado acessarão o gravador de áudio de seus aparelhos. 
  • Ao sinal, começarão a gravar, tanto no celular quanto no Zoom e então darão início ao programa de podcast. 

Ao final, haverá 3 arquivos separados. A sua voz, a do seu convidado e o áudio do Zoom. Para ficar mais claro, o Zoom serve para que um possa ouvir a voz do outro e a gravação por ele serve de backup para caso as outras gravações falhem. Já os dois áudios dos gravadores do celular poderão ser enviados para a edição antes de finalmente ir ao ar.

 

Outras dicas

  • Faça a gravação do celular sempre com o aparelho habilitado no modo avião. Você pode facilmente perder o foco ou até mesmo perder a gravação. 
  • Deixe o seu celular apoiado em algum lugar na hora de gravar e assim você consegue manter sempre na mesma distância da sua boca. Você também pode segurar o aparelho, caso preferir, pois eu mesma já fiz dessa forma e não tive problemas de cansaço.
  • O seu convidado poderá mandar o áudio gravado pelo Whatsapp, pois pelo próprio celular você consegue encaminhar e compartilhar através do aplicativo. Depois, com todos os arquivos em mãos, eles vão para edição. 
  • Não se preocupe com o glamour para gravar um podcast. Diferente de vídeos, onde precisamos de cenário, maquiagem e boa iluminação, no podcast a única coisa que aparecerá de fato é a sua voz. Sinta-se à vontade para ficar bem confortável na hora da gravação. 
  • Quanto mais fechado o lugar, melhor será a qualidade da gravação. Opte por lugares com tapete ou cortina ou até mesmo chão de madeira, para que o som saia mais aveludado. Caso não tenha essa opção, você pode usar espumas e posicioná-las em cima da mesa perto de onde vai gravar. Outra opção, nada glamourosa, diga-se de passagem, é usar uma mantinha para fazer uma cabaninha. Talvez você passe calor, mas o seu áudio sairá com uma qualidade melhor. 
  • Não coloque todas as suas apostas na edição. Quanto melhor for a sua captação, melhor será o seu resultado final e irá facilitar todo o processo de edição. 
  • Para quem vai receber os convidados e fazer a gravação presencial, a dica é fazer a captação do podcast e também gravar o vídeo, pois vai dar um charme e consequentemente, esse conteúdo pode ir para o Youtube. 

 

  • Edição

A edição é uma etapa muito importante e serve para fazer ajustes no som. Eu particularmente, envio os arquivos de áudio para a minha editora através do Dropbox, uma ferramenta paga que acaba sendo bastante conveniente para o meu caso, mas você também pode utilizar uma opção gratuita como o Google Drive. O importante é disponibilizar os arquivos brutos em uma pasta para que outra pessoa, no meu caso a minha editora, possa receber e fazer a edição. 

As ferramentas usadas pela profissional são o Adobe Premiere e Adobe Audition, também pagos. É importante lembrar que todo o meu conteúdo mudou a partir do momento que tomei a decisão de terceirizar. Muitas pessoas costumam pensar ‘’quando eu tiver condições, vou terceirizar’’, mas no meu caso foi ‘’hoje eu tenho condição porque eu terceirizei’’ e graças a isso estou gerando cada vez mais resultado comercial e sou muito grata a todo o trabalho da minha equipe.

Você também pode optar por um conteúdo mais caseiro e cru, sem a necessidade de todas aquelas inserções de músicas e efeitos sonoros, apostando numa vinheta mais simples. A dica é ouvir outros podcasts para buscar inspiração. 

Um bom áudio e mínima edição já vão render um resultado super profissional. Lembre-se de que fazer acontecer hoje, com os recursos que temos, é o segredo para começar a gerar conteúdo relevante e de sucesso.

Escrever comentário sobre Podcast sem gastar muito | Bastidores e dicas práticas